Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007


 
Foi no jardim de um hospício que encontrei um jovem de face pálida e formosa, e cheia de espanto...
Sentei-me ao seu lado e perguntei-lhe:
 
— Por que está aqui ?
E ele olhou-me, admirado, e disse:
— É uma pergunta indiscreta; contudo, vou responder-lhe.
Meu pai queria fazer de mim uma reprodução de si próprio; o mesmo queria meu tio.
Minha mãe pretendia fazer de mim a imagem de seu ilustre pai.
Minha irmã considerava seu marido marinheiro como o exemplo perfeito que eu deveria seguir.
Meu irmão achava que eu tinha que ser como ele, um excelente atleta.
E meus professores também...
O de filosofia...
O professor de música...
O de lógica, cada um queria que eu não fosse senão o reflexo de sua própria face.
Desta forma, vim pra este lugar...
Pelo menos posso ser eu mesmo...
 
Depois, subitamente, virou-se para mim e perguntou:
— Mas, diga-me, o senhor também foi trazido a este lugar pela educação e o bom conselho ?
E eu respondi: — Não, eu sou um visitante.
E ele disse:
— Ah, o senhor é um daqueles que vivem no hospício do outro lado da muralha.

 

Gibran Khalil Gilbran

 



publicado por Sou às 19:00
mais sobre mim
Outubro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12

14
15
17

23
25
27

28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO